Posts com Tag ‘clint eastwood’

São selecionados para esta seção tanto os filmes que já nasceram clássicos (como O Poderoso Chefão) ou aqueles que, com o tempo, foram considerados clássicos (como o hoje referência Cidadão Kane). Contudo, apesar de em grande parte os filmes selecionados para este espaço serem quase que unanimidade perante público/crítica, alguns títulos podem não deter (ainda) de uma aclamação tão forte perante a opinião pública, mas de acordo com o ponto de vista do comentarista este filme já é (ou nasceu) um clássico. Sendo assim, este espaço poderá conter obviedades (como os títulos citados acima), como também grandes surpresas.

:: Sinopse ::

Nesta aventura desenfreda e anárquica que se desenrola no México do século XIX, Clint Eastwood vive um mercenário americano que salva uma freira dos seus pretensos molestadores. Mais tarde, ele descobre que este encontro casual foi um golpe de sorte, já que ela sabe muito acerca dos oficiais do quartel que ele planeja invadir.

:: Impressões ::

É realmente fantástico o sentimento de “descobrir” um clássico. E foi exatamente o que aconteceu comigo ao conferir este Os Abutres Têm Fome (mais um dos títulos absurdos que o pessoal responsável por tradução no Brasil coloca – o título original do filme é Two Mules for Sister Sara, que pode ser traduzido como Duas Mulas para a Irmã Sara -, mas isto é pauta para uma outra discussão). Mais uma parceria entre o diretor Don Siegel (Alcatraz – Fuga Impossível) e o ator Clint Eastwood, este divertido faroeste é garantia de total diversão. Mesmo lançado há mais de quatro décadas, o filme ainda possui um ritmo fascinante e um enredo que surpreende pelo carisma e dinâmica da dupla de protagonistas, formada pelo mercenário errante interpretado por Eastwood e pela misteriosa freira vivida pela bela Shirley MacLaine (vencedora do Oscar por Laços de Ternura). Uma mistura de faroeste clássico (com todos os planos clássicos), aventura, romance e, inusitadamente, comédia, Os Abutres Têm Fome envolve do começo ao fim, sempre devido a mágica química entre Eastwood (que, apesar de reprisar o velho papel de solitário carrancudo, consegue transparecer através de muita sutizela que este personagem é uma derivação dos que concebeu em trabalhos anteriores) e MacLaine (que consegue nos deixar com dúvidas  e pergntas durante todo o desenvolvimento do filme: quem será realmente esta misteriosa freira?).

Mais um excelente trabalho de Don Siegel, provavelmente um de seus filmes com maior possibilidade de agradar diversos tipos de platéia, originalmente lançado em 1970 mas que guarda consigo uma essência (tanto estética, quanto rítmica) que não faz feio até hoje. Simplesmente brilhante. Para mim, um dos melhores faroeste que já tive prazer de conferir, além de conter uma das melhores atuações de Eastwood que já vi até hoje. Mais do que recomendado, um clássico (nem todos concordam, mas quem procura unanimidade?*)do cinema que faz jus ao termo.

Elenco: Shirley MacLaine, Clint Eastwood, Manolo Fabregas e Alberto Morin.

* Se você observar bem, grande parte dos “clássicos” que comento aqui talvez não estejam na lista dos grandes críticos ou da filmografia de alguns atores/atrizes e diretores. Contudo representam meu ponto de vista, minha visão/abosorção subjetiva da sétima arte. Portanto, fiquem a vontade em concordar (ou não) com meu hall de clássicos.

Ficha Técnica:

Título original: Two Mules for Sister Sara

Gênero: Aventura

Duração: 116 min.

Distribuidoras: Universal Pictures / The Malpaso Company / Sanen Productions

Direção: Don Siegel

Roteiro: Albert Maltz, baseado em história de Budd Boetticher

Produção: Carroll Case e Martin Rackin

Música: Ennio Morricone

Fotografia: Gabriel Figueroa

Direção de arte: Jose Rodriguez Granada

Edição: Robert F. Shugrue

Efeitos especiais: Frank Brendel e Leon Ortega

:: Trailer ::

:: Links ::

Sinopse: CinePlayers

Ficha Técnica: Adoro Cinema

Fichas do IMDB:

Clint Eastwood

Shirley MacLaine

Don Siegel

Anúncios

:: Sinopse ::

São Francisco, 1960. Frank Morris (Clint Eastwood) é um condenado que tem várias tentativas de fugas em seu histórico. Eleé enviado para Alcatraz, uma prisão de segurança máxima que também é conhecida como A Rocha e que fica em uma ilha, sendo que quem tentou escapar de lá ou foi recapturado ou morreu afogado. Warden Gradativamente Frank vê os pontos vulneráveis de Alcatraz e, com a ajuda de alguns outros internos, tenta pacientemente criar um rota de fuga.

:: Impressões ::

Último filme da parceria entre Clint Eastwood e Don Siegel, Alcatraz – Fuga Impossível é uma produção intrigante. Estilosa, divertida e tensa, talvez este seja um dos trabalhos mais “light” de Eastwood como ator até o momento em sua carreira (1979). Light (leve, para quem não sabe) no sentido de não abusar da violência, da figura do “cowboy macho” ou do “policial implacável” tão icônica na carreira do ator, mas sim se apoiar no roteiro, que é tão bem estruturado que mantém o espectador fixo na tela do início ao fim da projeção. Eastwood vive aqui mais um personagem misterioso, já que o filme inicia com sua chegada a prisão de Alcatraz e, mesmo o acompanhando durante toda a projeção, não ficamos sabendo de nada de sua vida “criminosa”, nem mesmo o que fez para ser enviado a esta prisão. E, apesar disso, o personagem em facilmente inditificável ao espectador, fazendo com que ele torça pelo êxito de seu plano de fuga (que por sinal só se dá a partir da metade do filme, durante a primeira hora acompanhamos – de bom grado, pro sinal – sua rotina como novato na prisão).

Assitindo hoje ao filme percebo como a série Prison Break foi inspirada pelo longa. Os planos complexos de Michael Scofield são fichinha comparada a ideia do personagem de Eastwood e cia., não em termos de complexidade, mas de credibilidade. Você acredita que o plano pode ser executado na “vida real”, por isso que a torcida para o êxito do mesmo é tão grande.

Esse divertido entretenimento conta também com a presença do ator inglês Patrick McGoohan, que mais de duas décadas depois interpretaria o icônico antagonista de Mel Gibson no filme Coração Valente, o rei Edward. Aqui, McGoohan já traz diversas das características que apresentaria no personagem futuramente – prepotência, arrogância, mequinheza, dentre outros adjetivos não tão positivos.

Don Siegel conduziu um excelente filme (baseado em fatos reais), que marcou época e até hoje pode ser conferido sem ser visto como datado. Como disse antes, um produto divertido e tenso, que entretém pelo poder de sua narrativa, de personagens misteriosos, mas carismáticos e pelo ambiente claustrofóbico e perigoso. Um entretenimento clássico que vale a pena ser conferido em qualquer momento de sua vida.

Elenco: Clint Eastwood, Patrick McGoohan, Bruce M. Fischer, Fred Ward e Larry Hankin.

:: Ficha Técnica ::

Título original: Escape from Alcatraz

Gênero: Drama

Duração: 111 min

Ano de lançamento: 1979

Distribuidora: Paramount Pictures

Direção: Don Siegel

Roteiro: Richard Tuggle, baseado em livro de J. Campbell Bruce

Produção: Don Siegel

Música: Jerry Fielding

Fotografia: Bruce Surtees

Direção de arte: Allen Smith e Edward J. McDonald

Figurino: Glenn Wright

Edição: Ferris Webster

:: Trailer ::

:: Links ::

Sinopse e Ficha Técnica: Adoro Cinema