Posts com Tag ‘nicolas cage’

Mais de um ano após a primeira postagem assumidamente inútil do Teia Pop, eis então uma seqüência para esse inesperado “sucesso” de acessos no blog. E, o astro escolhido para se impor ao talento descomunal de Nicolas Cage (alvo da primeira análise) e suas diversas cabeleiras, é nada mais nada menos do que o galã Johnny Depp, que, em minha opinião, tem em sua filmografia personagens tão loucos, esquizofrênicos e inusitados quanto os do colega Cage.

Sendo assim, abaixo estarão disponíveis algumas fotografias de personagens de Johnny Depp com looks mais estranhos (para não dizer bizarros) e, como disse no post anterior, peço que observem as fotos por sua conta e risco!

Obs.: abaixo das fotos deixo a minha impressão sobre o filme (ótimo, bom, regular ou ruim – e clássico, que está acima de tudo [ou não]). Boa leitura e boa diversão!

1984 – A HORA DO PESADELO (A NIGHTMARE ON ELM STREET), dirigido por Wes Craven (trilogia Pânico).

Depp no filme A Hora do Pesadelo, seu primeiro papel no cinema.

Cotação: Clássico.

1987 – Seriado ANJOS DA LEI (21 JUMP STREET).

Visual punk contemporâneo anos 80! What?

Cotação: Não vi.

1990 – EDWARD MÃOS DE TESOURA (EDWARD SCISSORHANDS), dirigido por Tim Burton  (Planeta dos Macacos/Alice no País das Maralvilhas).

Primeiro trabalho com Burton marca o início dos visuais esquistos do ator. Clássico!

Cotação: Clássico.

1990 – CRY BABY, dirigido por John Waters (Hairspray).

Bem, apesar do biquinho, esse ainda não é o visu mais gay de Depp. Almost faggot!

Cotação: Não vi.

1994 – ED WOOD, dirigido por Tim Burton.

Well, well, well... primeiro "moustache" do ator no cinema. Achou ridículo? O pior ainda virá!

Cotação: Muito bom.

1995 – TEMPO ESGOTADO (NICK OF TIME), dirigido por John Badham (Excalibur/O Exorcista II – O Herege).

Cabelo desgrenhado. Cara de assustado. Sem costeletas. Nicolas Cage?

Cotação: Bom.

1997 – DONNIE BRASCO, dirigido por Mike Newell (Harry Potter e o Cálice de Fogo/Príncipe da Pérsia – As Areias do Tempo).

Esse bigode "moustache" é foda... e o filme também!

Cotação: Ótimo.

1998 – MEDO E DELÍRIO (FEAR AND LOATHING IN LAS VEGAS), dirigido poe Terry Gilliam (Os 12 Macacos/ Irmãos Grimm).

Bem, o que esperar de um filme do Terry Gilliam, não é?

Cotação: Clássico.

1999 – A LENDA DO CAVALEIRO SEM CABEÇA (SLEEPY HOLLOW), dirigido por Tim Burton.

O penteado até que não é esquisito, mas o adereço ótico denota um novo sentido a cabeleira de Depp nesta nova parceria com Tim Burton.

Cotação: Ótimo.

1999 – ENIGMA DO ESPAÇO (THE ASTRONAUT’S WIFE), dirigido por Rand Ravich (roteirista de Candyman 2).

Achou o visual "Cry-Baby" gay? Então o que me diz desse cabelo alourado aparado no Jassa... FAGGOT hairstyle!

Cotação: Não vi.

2000 – POR QUE CHORAM OS HOMENS (THE MAN WHO CRIED), dirigido por Sally Potter (Yes / Rage).

Bigode e barbichinha...

Cotação: Não vi.

2000 – ANTES DO ANOITECER (BEFORE NIGHT FALLS), dirigido por Julian Schnabel (Basquiat – Traços de uma Vida/O Escafandro e a Borboleta).

Uma imagem vale mais do que trocentas palavras... (o filme é foda)!

Cotação: Ótimo.

2003 – PIRATAS DO CARIBE: A MALDIÇÃO DO PÉROLA NEGRA (PIRATES OF THE CARIBBEAN: THE CURSE OF THE BLACK PEARL), dirigido por Gore Verbinski (O Chamado/Rango).

Jack "fucking" Sparrow man! Johnny Depp mainstream...

Cotação: Muito Bom.

2005 – A FANTÁSTICA FÁBRICA DE CHOCOLATE (CHARLIE AND THE CHOCOLATE FACTORY), dirigido por Tim Burton.

Androgenia e Michael Jackson feelings...

Cotação: Bom.

2007 – SWEENEY TODD: O BARBEIRO DEMONÍACO DA RUA FLEET (SWEENEY TODD: THE DEMON BARBER OF FLEET STREET), dirigido dirigido por Tim Burton

Style total, cara de fodão. Se mete com o cara?

Cotação: Muito Bom.

2010 – ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS (ALICE IN WONDERLAND), dirigido dirigido por Tim Burton.

Apenas duas palavras: Madonna drogada!

Cotação: Regular.

::: BONUS :::

2005 – A NOIVA CADÁVER (CORPSE BRIDE), dirigido dirigido por Tim Burton e Mike Johnson.

Johnny Depp artesanal...

Cotação: Bom.

2011 – RANGO, dirigido dirigido por Gore Verbinski.

Igualzinho... igual!

Este post não visa denegrir, de forma alguma, a capacidade e talento de Johnny Depp como intéprete. Longe disso, pois em primeiro lugar admiro bastante a maioria de seus filmes. Contudo, não poderia deixar de apresentar “alguns” visuais curiosos do ator durante sua carreira até então.

:: Links ::

Inutilidade I: OsMELHORESpenteados de Nicolas Cage

Anúncios

NOS CINEMAS. Nesta seção serão comentados filmes que acabaram de estrear nos cinemas brasileiros. Independentemente da nacionalidade ou gênero, qualquer filme poderá ser comentado neste espaço. O único ponto em comum entre estes é o seguinte: apenas os filmes considerados bons pelo comentarista serão publicados aqui.

A seção oferece, além do texto, do trailer legendado (hospedado no YouTube) e do pôster dos filmes, um campo de links composto pelas seguintes informações: Ficha Técnica, Sinopse , Fichas dos principais envolvidos no IMDB (Internet Movies Data Basing), além de outras possíveis informações complementares.


:: Sinopse ::

Behmen (Nicolas Cage) lutou por vários anos nas Cruzadas, perdeu batalhas, amigos e também a fé. Ao voltar para sua terra natal, ele só encontra devastação, fome e a peste negra. Unido com outros guerreiros, ele recebe a missão de levar uma jovem, suspeita de ser uma bruxa, para um monastério distante. Mas antes de chegar ao destino eles descobrirão que ela possui, realmente, forças sobrenaturais e que o mal que eles enfrentarão está além de toda e qualquer compreensão.

:: Impressões ::

Eis que, ainda durante o mês de janeiro, aporta nos cinemas o mais novo filme do astro Nicolas Cage (já “caçoado” aqui e ali por mim). Originalmente programado para estrear em 2010, Caça às Bruxas é o primeiro de no mínimo cinco títulos do ator que aparecerão nas telas dos cinemas em 2011.

Vamos ao filme. Originalmente intitulado Season of the Wicth (algo como Temporada das Bruxas), este título é um produto deveras interessante. Nada de surpreendente, tanto em conteúdo (que por sinal é bem mastigadinho e linear), quanto em forma (nada de cenas grandiloquentes, ou seja, o que é mostrado no filme reflete o que teoricamente foi gastado nele – cerca de 40 milhões de dólares, segundo o Box Office Mojo), mas que consegue manter o expecatador entretido durante sua curta jornada a frente da tela de cinema (o filme tem duração pouco maior que 90 minutos). Um misto de Van Helsing (no lado positivo, se é que há esse lado na produção de 2004) com um clima que resgata o clima de produções como Drácula de Bram Stoker (1992), de Francis Ford Coppola e A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça (1999), de Tim Burton – em particular após a primeira hora, quando os personagens principais encontram-se cercados por lobos numa soturna floresta -, Caça às Bruxas é um filme pequeno que surpreende por nunca tentar mostrar mais do que seus limites permitem, tanto que os pontos fracos do mesmo resultam de dois pontos bastante distintos entre si: primeiro, da oscilante qualidade dos efeitos visuais (as cenas de batalhas durante as cruzadas, mostradas no início do filme, são bastante convincentes, apesar de ter sentido falta de mais planos abertos, enquanto as criaturas digitais que apereçem durante o filme parecem ter sido concebidas de forma apressada, prejudicando sua naturalidade e, por que não, credibilidade, sendo este último no mínimo estranho, visto que o filme foi atrasado em quase um ano e este tempo poderia ter sido usado para apurar os efeitos do filme) e segundo da pressa constante do filme, que parece estar tão confiante pela linearidade da trama que às vezes atropela bastante a mesma, correndo assim mais do que deveria para concluir o enredo.

Caça às Bruxas marca a volta da parceria entre Cage e o diretor Dominic Sena (ambos fizeram 60 Segundos juntos), que antes deste longa havia comandado o horrível Terror na Antártida (Whiteout), mas que com este novo trabalho consegue corrigir, mesmo que não com total excelência, a má impressão que havia me deixado como realizador. O filme conta com uma ponta inusitada do veterano ator Christopher Lee e com uma boa presença do canastrão Ron Perlman (mais conhecido como o intérprete de Hellboy, apesar da maquiagem),  que aqui vive o braço direito do cavaleiro interpretado por Nicolas Cage. Por fim, Caça às Bruxas é um bom entretenimento, que segue a risca a fórmula dos filmes seguros, onde temos o equilíbrio de efeitos, astros, roteiro e “ousadia” de acordo com as “normas” hollywoodianas. É válido ilustrar que, há quase um ano atrás, estreou nos cinemas um filme com uma proposta bastante parecida, O Lobisomem, estrelado por Benício Del Toro, que apesar da premissa interessante no final não sagrou-se como um bom produto. Sendo assim, devido aos estilos semelhantes, indico Caça às Bruxas para aqueles que esperavam de O Lobisomem um fimão e não o encontraram ao conferí-lo. Não digo que este é um filmão, mas mais bem resolvido e competente que o filme de Del Toro, isto é. E que venham mais filmes do sempre imprevisível Nicolas Cage (que, por sinal, apresenta uma “peruca” convincente neste trabalho).

Elenco: Nicolas Cage, Ron Perlman, Rebekah Kennedy, Stephen Graham, Stephen Campbell Moore, Ulrich Thomsen e Christopher Lee.

:: Ficha Técnica ::

Título original: Season of the Witch

Gênero: Suspense

Duração: 103 min

Ano de lançamento: 2011

Site oficial: http://www.seasonofthewitchfilm.com/

Estúdio: Relativity Media | Atlas Entertainment

Distribuidora: Lionsgate (EUA) | Imagem Filmes (Brasil)

Direção: Dominic Sena

Roteiro: Bragi F. Schut

Produção: Charles Roven e Alex Gartner

Música: Atli Örvarsson

Fotografia: Amir M. Mokri

Direção de arte: Bence Erdelyi e Kai Koch

Figurino: Carlo Poggioli

Edição: Dan Zimmerman

:: Trailer ::

:: Links ::

Sinopse e Ficha Técnica: Adoro Cinema.

Histórico nas Bilheterias: Box Office Mojo.

Perfil de Nicolas Cage: IMDB.

Perfil de Dominc Sena: IMDB.

Os Melhores Penteados de Nicolas Cage.

Crítica de Presságio, com Nicolas Cage: queRESENHA.

Os 10 Melhores Filmes de 2009: queRESENHA.

Os 10 Melhores Filmes de 2010: teiaPOP.